Cuidadora denuncia vaga de emprego que veta “negras e gordas”

Anúncio foi compartilhado por meio de um aplicativo de mensagens; vaga seria para uma empresa de cuidadores de idosos que atua em Belo Horizonte

MATÉRIA R7


Uma cuidadora de idosos de 41 anos procurou a PM (Polícia Militar) para denunciar um anúncio de vaga de emprego que restringia a candidatura de pessoas “negras e gordas”.

Elisângela Carlos Lopes conta que recebeu a oferta por meio de um serviço de transmissão de mensagens via WhatsApp. O texto indicava que eram procuradas 10 cuidadoras para trabalharem como plantonistas, recebendo R$ 100 por dia, incluindo o vale-transporte.

"Únicas exigências: não podem ser negras, gordas e precisam de pelo menos 3 meses de experiência", disse a mensagem.

Elisângela, que mora em Ribeirão das Neves, uma das cidades com maior índice de pobreza da região metropolitana de Belo Horizonte, afirma que apesar de estar empregada e não precisar da vaga, se sentiu ofendida com a publicação.

— Eu li mais uma vez para ver se não era fake news, mas não era.

O texto foi enviado por uma treinadora de cuidadores que costuma compartilhar dicas de vagas de emprego para pessoas que trabalham na área. Em contato com a Record TV Minas, a mulher disse que apenas transmitiu a mensagem enviada pela franquia da empresa Home Angels, em Belo Horizonte.

Segundo Elisângela, a treinadora se desculpou por ter compartilhado a vaga com as descrições que apresentavam indícios de racismo e esclareceu que estava apenas repassando um pedido de terceiros. A cuidadora diz ainda que foi ofertada a ela uma consulta com psicóloga após a confusão, mas ela recusou.

— Ao ler este anúncio, eu deduzi que eu, que sou negra, semianalfabeta, moradora de Ribeirão das Neves e com 41 anos, vou ficar fora do mercado de trabalho se precisasse da vaga.

Procurada pela reportagem, a Home Angels informou que tomou conhecimento do caso e que repudia o ocorrido. Segundo a empresa, o recrutamento teria sido feito por uma franquia da marca, que tem administração independente. Em nota, a companhia informou, ainda, que está realizando ações para que sejam aplicadas as medidas cabíveis ao funcionário responsável pela publicação.

A reportagem tenta contato com a responsável pela franquia da marca em Belo Horizonte. O R7 procurou a Polícia Civil para saber se houve instauração de inquérito sobre o caso, mas ainda não teve retorno.

Veja a íntegra da nota da Home Angels:

“Tomamos conhecimento de que um colaborador de uma unidade franqueada HOME ANGELS teria realizado atos discriminatórios em face de negros e obesos em processo seletivo para a contratação de cuidadores plantonistas. O referido ato teria sido realizado através de envio de solicitação de interessados por meio da ferramenta whatsapp, e que teria sido endereçado a uma única pessoa.

Repudiamos veementemente o fato ocorrido. Somos uma empresa com valores sociais e humanos e que tem entre os seus valores o respeito ao próximo e a igualdade de tratamento, independente de sexo, cor, credo, etc.

A Home Angels é uma empresa franqueadora que atua através do sistema de franquias, sendo que a administração das unidades franqueadas ocorre de forma independente e as pessoas jurídicas não se confundem, havendo um instrumento contratual que regula os direitos e obrigações entre as partes.

Tomamos providências imediatas para a apuração dos fatos mencionados com a unidade franqueada, a qual o colaborador está vinculado, com o intuito de que após apurado e ouvidos os envolvidos, sejam aplicadas as medidas cabíveis em relação às obrigações do contrato de franquia.”

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.