Anúncio

Radialista de Itu tem morte cerebral após sofrer acidente nos EUA

Tony Fernandes, de 37 anos, morava em Pittsburg há quase três anos; família decidiu doar órgãos


Um radialista de Itu teve morte cerebral após sofrer um acidente em Pittsburg, nos Estados Unidos. Tony Fernandes, de 37 anos, é mantido respirando por aparelhos. A família da vítima informou na manhã desta segunda-feira (30) que decidiu doar seus órgãos.

Segundo o irmão de Tony, João Campanha, o radialista morava na cidade do estado da Califórnia há quase três anos. Na quinta-feira (26), a caminhonete que ele dirigia capotou enquanto Tony ia para o trabalho. A suspeita é que ele tenha passado mal em decorrência de diabetes.

O radialista foi socorrido por um caminhoneiro que passava pelo local e levado para um hospital da cidade, onde passou por cirurgia. Conforme João, os médicos informaram a família que a vítima bateu forte com a cabeça e, com isso, teve 90% do cérebro comprometido.

Órgãos serão doados

Exames realizados no sábado (28) confirmaram a morte cerebral da vítima. Uma irmã de Tony, que também mora nos EUA, e outro irmão que viajou para acompanhar seu estado de saúde se reuniram com a equipe médica. A esposa dele concordou em doar seus órgãos.

De acordo com João, o radialista já havia manifestado antes a vontade de ser doador. “Estamos fazendo a vontade dele. Com a doação, ele vai salvar sete vidas”, afirma.

Após a decisão da família, o hospital manterá Tony respirando por mais 48 horas. Segundo João, esse período é o necessário para que os médicos encontrem pacientes compatíveis com os órgãos do irmão. A previsão é que os aparelhos sejam desligados entre terça (01) e quarta-feira (02).

Sonho de morar nos EUA

Morar nos Estados Unidos era um sonho para Tony, que desde cedo investiu nos estudos do inglês. Segundo o irmão, ainda jovem ele fazia trabalhos como tradutor em um condomínio. Em 2015, se formou em Jornalismo em uma faculdade de Itu.

Em fevereiro de 2017, o desejo se tornou realidade e Tony finalmente pisou em solo norte-americano. Ele viajou para os Estados Unidos com a irmã mais nova e lá formou família: se casou e teve um filho, que está com três meses.

Conforme João Campanha, atualmente o irmão trabalhava com pinturas residenciais e sempre ajudava a família. “Foi com o dinheiro que ele enviava que nossos pais conseguiram terminar a casa, comprar móveis”, diz.

João ainda relata que o radialista sempre foi fã de carros e, no exterior, conseguiu realizar o sonho de comprar uma BMW. “Infelizmente essa fatalidade ocorreu, mas sabemos que ele conseguiu chegar onde queria”, finaliza.

Nenhum comentário

Anúncio

Tecnologia do Blogger.